Porque ficar vermelho socialmente pode ser bom para você

Porque ficar vermelho socialmente 

pode ser bom para você.

 

Pessoas que ficam vermelhas quando se sentem ameaçadas ou quando erram em público normalmente odeiam
esse traço, pois não importa o que façam, nunca conseguem controlar esse aspecto. A psicóloga e pesquisadora Elaine Aron, atribui esse traço a um grupo de pessoas “altamente sensíveis”, que representam em torno de 70% dos introvertidos.

tímidoMas antes de saber como esse traço pode ajudar você, precisamos entender o que significa ser “altamente sensível”. E para explicar melhor, vou listar algumas das características atribuídas a essas pessoas, a partir de um estudo realizado por Aron.

Atributos de pessoas altamente sensíveis:

Pessoas altamente sensíveis tendem a ser atentos observadores que olham antes de dar um salto. Elas organizam suas vidas de forma a limitar surpresas. Muitas vezes são sensíveis a visões, sons, cheiros, dor, etc. Têm dificuldades quando são observadas ou julgadas por méritos gerais. As pessoas altamente sensíveis tendem a ter uma orientação filosófica ou espiritual, em vez de materialista.

Elas não gostam de conversa fiada e muitas vezes se descrevem como criativas e intuitivas. Pessoas introvertidas também processam informações sobre ambientes – físicos e emocionais – com uma profundidade rara.

Esse último traço é algo muito importante, pois gera a empatia. Aron e sua equipe de cientistas descobriram que quando pessoas sensíveis veem rostos de pessoas passando por sentimentos fortes, elas têm mais estímulos do que outras nas partes do cérebro associadas à empatia, é como se as pessoas tivessem fronteiras mais finas separando-as das emoções dos outros.


Esse dado é extremamente importante quando consideramos uma pesquisa da Universidade de Michigan, feita em
 2010, mostrando que alunos da faculdade atualmente são 40% menos empáticos do que eram a 30 anos atrás. Isso gera um clima de desconforto e alta competividade, o que vai na contramão das tendências que vemos para os próximos anos.


 map-pin-hi

Mas o que isso tem a ver com a vermelhidão que acomete os tímidos?

Entre os testes que cientistas e psicólogos utilizaram para medir traços da personalidade estão os testes de condutibilidade da pele, que registram o quanto as pessoas suam em reposta a sons, fortes emoções e outros estímulos. Introvertidos altamente sensíveis suam mais, e sua pele é literalmente mais fina, e por isso, mais suscetível a vermelhidão.

Mas essa característica pode ser mais valiosa que você imagina.

Em um experimento recente, uma equipe de psicólogos liderada por Corine Dijk pediu que entre 60 e 70 participantes lessem relatos de pessoas que tinham feito algo moralmente errado, como fugir depois de uma batida de carro, ou embaraçosa, como derramar café em alguém. No experimento os pesquisadores mostravam aos participantes fotografias das pessoas que cometeram o erro, que tinham uma das quatro expressões faciais a seguir:

  • vergonha ou embaraço (cabeça e olhos baixos);
  • vergonha/embaraço mais rubor;
  • neutra;
  • neutra com rubor.

Então pediram a eles para avaliar o quão simpáticos e confiáveis eram as pessoas que erraram.

Os ofensores que ruborizaram foram julgados muito mais positivamente do que os outros.

Na verdade, o que os introvertidos mais destetam a respeito dtimideze ruborizar – o fato de não poderem controlar isso –  é o que o torna mais útil socialmente. Ruborizar é um autêntico sinal de vergonha, que é uma emoção moral; ela demonstra humildade, modéstia, generosidade e uma preocupação autêntica com o outro. Embora alguns introvertidos achem que esse traço acontece com a intenção de isolar a pessoa, o maior objetivo é agregar.

Um estudo publicado no Journal of Personality and Social Psychology mostrou que pessoas assim são mais generosas e realmente merecem a confiança dos outros. “Níveis moderados de constrangimento são sinais de virtude“, disse Matthew Feinberg, um estudante de doutorado em psicologia na Universidade da Califórnia em Berkeley e principal autor do estudo. 

Segundo ele, o constrangimento moderado que surge sem ter motivo é uma assinatura emocional das pessoas em quem se pode confiar, ou seja, uma coisa boa e não algo contra o qual você deve lutar. O estudo ainda descobriu que as pessoas têm mais vontade de se aproximar e se sentem mais confortáveis em confiar em quem fica constrangido facilmente.

Agora aquele vermelhinho não parece mais tão ruim, não é mesmo?!

 

—————

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *