[vida positiva] PORQUE O OTIMISMO ACABARÁ COM SEU 2018

Desde criança eu ouço que otimismo é bom, que ser uma pessoa com visão positiva é agradável e evita males indesejados.

Concordo 100% com isso, mas tem um lado do otimismo que ninguém fala, mas eu quero falar para você: além da acomodação, o responsável por não produzirmos as mudanças certas em nossa vida é o tal otimismo.

Ah, importante dizer que aqui não importa se você é um otimista de carteirinha ou eventual, pois todos nós somos banhados pelo que a psicologia chama de “viés do otimismo”.

Viés do otimismo = tendência de superestimar a probabilidade de viver eventos positivos no futuro e subestimar a probabilidade de viver eventos negativos.

 

    Ou seja, sempre achamos que nossa vida será melhor amanhã do que ela é hoje.


Mas, embora o viés do otimismo seja algo realmente bom, ele pode ser uma maldição disfarçada de presente.


99% das pessoas hoje se sentem sobrecarregadas, lidando com mais coisas do que podem aguentar: casa, filhos, marido, esposa, trabalho e trabalho e trabalho, estudos, amigos, corpo perfeito, vida saudável… enfim, a lista sempre é grande e é provável que você ainda queira acrescentar mais alguns itens.

É justamente por essa lista enorme aí que o viés do otimismo vira um vilão daqueles! Ficamos tão cansados durante a semana, que não temos energia e nem vontade de pensar e promover mudanças que sejam realmente boas para nós. Aí o que antigamente seria torturante (já que permaneceríamos em uma realidade infeliz), hoje se torna “aguentável”, porque [ilusoriamente] acreditamos que, por um passe de mágica, a nossa vida mudará.

Sim, você senta a bunda no sofá depois de um dia de trabalho cansativo e acha que o universo está olhando seu esforço e um dia vai recompensar tudo isso. Sorry… ele não vai. Tá, a energia do universo até pode ajudar [texto para outro dia], mas a nossa vida é uma reação, que acontece com base nas nossas AÇÕES.

   Eu faço, ela responde. Eu fico parado, ela fica parada. Simples.

Tali Sharot dedicou um livro inteiro explicando o viés do otimismo, e escreveu muito bem quando disse:

de um modo geral, as pessoas superestimam suas expectativas de realização profissional; esperam que seus filhos sejam extraordinariamente talentosos; fazem cálculos equivocados de seu provável tempo de vida; esperam ser mais saudáveis do que a média das pessoas e mais bem-sucedidas do que seus pares, subestimam enormemente a probabilidade de divórcio, câncer e desemprego; e em geral são confiantes de que sua vida será melhor do que a que seus pais tiveram.

 

Resumindo: você está lendo esse texto e pensando que sua vida amanhã estará melhor que hoje… mas não estará. A prosperidade e felicidade não está garantida para ninguém, nem no presente, nem no futuro.

O que fará diferença no seu ano são as suas ações. Abrace o otimismo, mas caminhe junto! Não espere sentado as mudanças que você precisa fazer sozinho. Se algo incomoda, mude, se algo machuca, ressignifique, se algo é ruim, troque, se te faz infeliz, jogue fora. Mas não espere que o mundo vá fazer algo que nem você tem coragem de fazer. Isso é bobagem.

Não deixe o otimismo matar você! Faça o que precisa ser feito, faça o seu 2018 do seu jeito.

 

Até breve!

Um abraço,

2 thoughts on “[vida positiva] PORQUE O OTIMISMO ACABARÁ COM SEU 2018

  • Aceitar o fato de que, ao meu ver, o Universo é indiferente conosco cobra um preço muito alto mas faz parte do amadurecimento (e a aceitação não tem nada a ver com o conformismo). Já tive as minhas decepções por conta do viés do otimismo, nas relações e na profissão. É o que você disse: ação constante. Olhos nas estrelas e pés no chão.

    Obrigado pelas palavras, Juliana.

    • Adorei a sua reflexão, Alex! Sei que é duro quando a gente encara que o universo só responde as nossas ações, mas quanto mais cedo a gente se dá conta disso, melhor para nós! Volte sempre aqui tá, e comente os textos, adoro a opinião de vocês 🙂 Um beijo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *